Educação canina: uma nova visão

Hoje em dia, é grande o número de famílias que optam por ter um animal de estimação, um cão de companhia. Seja este para suprir a necessidade de um verdadeiro amigo, pelo prazer das brincadeiras e traquinagens dos peludos, para agradar um filho, ou apenas para dar a um cãozinho a oportunidade de uma vida digna, com amor, carinho e respeito.

No entanto, a convivência entre cão e dono pode não ser tão simples assim, como podemos notar na inúmera quantidade de cães abandonados e nos vários cartazes de “doa-se cãozinho”.

Um cão necessita de cuidados veterinários, de alimentação de boa qualidade, precisa se exercitar e brincar. Carinho e amor são de extrema importância para eles. Além disso, o cão precisa de educação, e aí entra o adestramento. Ninguém quer ter um cão mal educado, não é mesmo? Ninguém quer ter um cão que pule nas visitas, lata sem parar, urine nos quatro cantos da casa, destrua móveis e objetos da residência e que seja agressivo, não só com estranhos, mas com as pessoas de seu convívio diário.

Educar um cão é fundamental, e se começa a educá-lo desde o momento em que ele passa a participar do convívio da família. Muitos têm a visão de que um cão adestrado é um cão que executa comandos e faz um monte de coisinhas engraçadas, e que não passa de um robozinho. Isto não é verdade! A educação canina preza a interação entre cão e dono, vai além de simples comandos. A socialização também é muito importante para os cães, e deve começar desde cedo. Os cães vivem em matilhas, onde há um líder, o cão alfa. Na nossa casa, com nosso cãozinho de companhia, também há um líder; resta saber se este líder é o cão ou o dono, caso seja o cão, há um claro sinal de que esta convivência não é prazerosa para ambas as partes. Os donos tendem a achar que se não fizerem isto ou aquilo que seu cão impõe (subir no sofá, dormir na cama, etc) seu cãozinho deixará de amá-lo. Isto é um erro, muitas vezes por falta de informação. Quando um cão tem seus limites impostos, claro que pacificamente, é um cão muito mais feliz. Um cão que tem a companhia do dono para brincar, jogar uma bolinha, passear e, sim, treinar, é um cão muito mais ativo e feliz do que os que passam o dia inteiro deitado no sofá e rosnando para o humano que tentar tirá-lo de lá.

A educação básica de um cão leva o dono a entender melhor seu amigo de quatro patas, a perceber as reais necessidades dele e ajuda o dono a estabelecer sua liderança na matilha. Assim que o cão for liberado pelo veterinário para os passeios, há de se pensar se vale a pena deixá-lo fazer o que quer (tornando a convivência muitas vezes insuportável), ou se não seria melhor educá-lo. Não há idade para se treinar um cão, qualquer idade é válida. Na procura por um adestrador, há de se levar em conta algumas coisas como, por exemplo, o método utilizado pelo mesmo. O cão não precisa e não deve aprender na força, jamais. Hoje em dia é grande o número de profissionais da área que trabalham com reforço positivo, sempre incentivando o cão, sem castigos e traumas. Deve-se levar em conta, também, a participação do dono nas aulas, que é importantíssima, afinal, o dono também precisa ser treinado. Após a escolha do profissional, seu cãozinho lhe dará a dica se este é realmente um profissional que preza o bem estar dele ou não, basta perceber suas atitudes perante o treinador: se ele estiver com medo, pode estar sendo maltratado e só resta uma coisa a fazer, trocar de professor!

Todo cão gosta de aprender, mas sem dúvida, é mais gostoso quando há prazer em fazê-lo.

Chris Costa: adestradora de cães pelo método sem castigo e dogwalker.

Anúncios

1 Response to “Educação canina: uma nova visão”


  1. 1 Marlene 25 agosto, 2011 às 12:46 pm

    Olá Chris!

    Preciso tirar algumas dúvidas, se for possível tua resposta.
    Moro em Foz do Iguaçu-PR, em uma casa com quintal, com meu marido e filho de 10 anos.
    Adquirimos 3 cães filhotes mestiços ou vira lata.
    Estão com 3 meses, já tomaram a primeira dose de vacina, vermifugação, comem ração e são muito ativos.
    Ocorre que não queremos que eles entrem dentro de casa, ficando na área de serviços e quintal.
    Meu marido não tem paciência e as vezes perde a paciência quando eles entram na cozinha.
    Gostaria de saber o melhor método para educá-los.
    A melhor maneira de assim o fazer. Te agradeço se puder me orientar.
    Muito grata.
    Marlene Barcellos.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Seja bem-vindo!

Este site é uma extensão da comunidade Dicas de Adestramento do Orkut.

Leitores online

web counter

Pesquisar

A função abaixo permite que você localize rapidamente tudo que foi publicado a respeito do termo buscado.

+

Pavê ou pacomê?

Acessos

  • 704,090 visitantes desde jan/08

%d blogueiros gostam disto: