Posse responsável, compromisso, responsabilidade e princípios básicos

Adotar um animal é assumir um compromisso para toda a vida. Você está preparado?

Mamãe, por que você é tão diferente de mim?

Antes de adotar um animal é necessário que se reflita sobre alguns pontos fundamentais. Haverá meios de cuidar dele como precisa? Haverá recursos financeiros para alimentá-lo e dar-lhe tratamento médico? Haverá tempo para se dedicar, brincar, passear, enfim, tratá-lo com amor e atenção?

Se a resposta for “não”, não adote animal nenhum. Porque eles precisam de tantos cuidados quanto uma criança necessitaria.
Mas se a resposta for “sim”… Ainda assim, saiba aqui os compromissos que você terá que assumir.

Alimente de forma correta
É um dos cuidados mais básicos. Significa não só dar comida, mas sim manter o animal bem alimentado, dando-lhe uma ração específica para sua espécie, em quantidades adequadas, e fornecendo-lhe sempre água fresca. Gatos não devem ser alimentados com ração de cães e vice-versa. Cães e gatos não merecem ser alimentados com restos de comida humana nem deixados com sede. Não deixe água estagnada no pote. Além de ser prejudicial à saúde do animal, essa água pode acumular larvas de mosquitos, prejudicando também sua saúde.

Dê-lhe um local adequado para viver
Nunca se deve deixar um animal ao relento, sem ter onde se abrigar do calor, do frio ou da chuva. O melhor lugar para um amigo é perto de nós. Se isso não for possível, por alguma razão, dê-lhe ao menos uma casa para se proteger.

Não esqueça de que você não gostaria de se deitar no chão duro. Lembre-se ainda de que um animal de grande porte certamente não viverá bem em um local apertado. O local deve ser também bem arejado. O ambiente precisará estar adaptado à sua presença. No caso de apartamentos, telas são indispensáveis nas janelas, mesmo que se trate de cães. Se você mora em casas, mantenha o animal em local onde não possa fugir para a rua. Ruas são extremamente perigosas para animais de qualquer espécie.

Vacine-o anualmente
Todo animal deve ser vacinado quando filhotes, e o reforço da vacinação deve ser dado anualmente.

Os cães devem ser vacinados a partir dos 45 dias, contra parvovirose, cinomose, coronavirose, raiva, hepatite infecciosa, leptospirose, parainfluenza, adenovirose e traqueobronquite.

Os gatos, a partir dos dois meses, contra raiva, panleucopenia, rinotraqueíte, clamidiose e calicivirose. Há também vacina contra a leucemia ( FeLV ), mas ainda existem controvérsias sobre ela.

Castre seu animal – esse é um ato de amor
Castrar seus animais é a melhor opção. Isso ajuda a evitar que haja mais animais abandonados. A cada ano, centenas de filhotes indesejados são jogados nas ruas. A maioria morre antes de completar um ano. Mesmo que você esteja horrorizado e convicto de que não abandonará uma ninhada, pense mesmo assim. Não há casas disponíveis para todos os animais. Não é fácil conseguir um lar para todos os filhotes, e você nunca terá garantias de que serão bem tratados.

Além disso, a castração trará mais benefícios para seu animal e também para você. Ele se tornará mais carinhoso e tranqüilo, e as chances de fuga serão muito menores.

Os animais podem ser castrados a partir dos quatro meses. Quanto mais cedo for feita a esterilização, menores as chances de tumores nas fêmeas e de inflamação da próstata e testículos nos machos. A castração é um ato de amor à vida.

Mantenha-o dentro de casa
Rua não é lugar para o animal estar. Mesmo que você more em um bairro tranqüilo ou em uma cidade pequena, isso não exclui o risco de maus tratos ou de um atropelamento. A responsabilidade pela vida de seus animais é unicamente sua. Não adianta culpar o mundo se algo acontecer com ele, e na maioria dos casos, sequer se pode provar quem matou ou maltratou um animal. Mantenha seus animais dentro de casa. Essa é a única maneira de evitar problemas para eles, para você, e para as outras pessoas também.

Dê-lhe um lar, não uma prisão
Jamais deixe seu cãozinho acorrentado ou o gato em uma gaiola. Ou você gostaria que fizessem isso com você? Manter animais presos desta forma, sem nenhuma possibilidade de movimentação, é um ato de crueldade. Você manteria um filho preso em um quarto pelo resto de sua vida? Ou deixaria um bebê acorrentado no berço, sem poder se mexer?

Lembre-se sempre que sua casa é um lar para o animal, não uma prisão, onde ele será obrigado a viver na solitária.

Não o castigue nem maltrate
Punição física não adianta nada, e não corrige comportamentos indesejados. Bater no animal, além de ser um ato de extrema covardia, fará com que ele se torne medroso e inseguro, o que não é bom nem para ele nem para você.

Trate seus animais como você gostaria de ser tratado. Este é um princípio básico da humanidade.

Providencie tratamento veterinário sempre que for preciso
Não confie em conselhos e palpites de curiosos. O profissional mais indicado para cuidar de seu animal é o médico veterinário. Procure um veterinário sempre que necessário, para orientação, vacinação, ou se o animal apresentar qualquer sintoma de doença.

Esteja sempre atento à sua saúde, verifique sempre seu estado geral. Não meça esforços para lhe dar o melhor tratamento possível. Mesmo que você não possua uma excelente situação financeira, há locais onde você poderá tratá-lo a preços mais baixos, como os hospitais das faculdades de veterinária.

Siga as regras da civilidade e da higiene
Ao sair na rua com seu cãozinho, recolha toda a sujeira que ele fizer. Não polua as vias públicas. Lembre-se que você é responsável por qualquer dano que o animal causar, e por qualquer coisa que ele fizer.

Cães devem ser levados na coleira sempre. Essa é uma regra fundamental para a segurança das outra pessoas e do próprio cão, que pode se assustar e fugir para o meio da rua, correndo risco de atropelamento.

Não deixe seus gatos perambulando pela vizinhança. Muitas pessoas não gostam de gatos, e não vão querer tê-los andando por cima do capô do carro.
Dentro de casa, mantenha sempre limpo o local onde vive o animal. Ninguém gosta de sujeira, muito menos seu melhor amigo.

Seja companheiro sempre
Aprenda a respeitar o jeito de ser de cada animal. É isso que o faz único. Trate-o sempre com carinho e amor.

Procure compreender que tudo o que ele faz é para agradá-lo e fazer-se digno do seu amor. Aceite esse amor incondicional. Ninguém será capaz de amá-lo de forma tão desinteressada e isenta de julgamentos como seu animal.

Supere as dificuldades – você é o responsável
Nem sempre as coisas são como desejamos… Nem sempre nossos animais se comportam da forma esperada. Nem sempre se comportam ou agem como filhotões adoráveis e fofos. Mas lembre-se de que você é responsável por ele, seja como for, aconteça o que acontecer. E que ninguém abandona um filho porque teve mau comportamento, se envolveu com drogas, meteu-se em encrencas…

Na velhice, não o desampare
Não é justo que você se desfaça do animal justamente na fase em que ele mais precisará de você. Nossa sociedade é extremamente injusta com os idosos. Não seja você mais um a engrossar as fileiras da indiferença e da falta de gratidão. Seu animal o amou e compreendeu a vida inteira… Cuide dele até o fim.

Jamais o abandone
Finalmente, jamais abandone. Animais abandonados são presa fácil das piores crueldades. Não caia na conversa de que sempre haverá “alguma alma boa” que cuide dele. A realidade não é essa.

Fonte: Gatos do Rio
Imagem de Hoschie.

Anúncios

1 Response to “Posse responsável, compromisso, responsabilidade e princípios básicos”


  1. 1 paulo goncalves 7 abril, 2008 às 10:13 pm

    há duas semanas ao entrar em casa vivo numa vivenda com rua sem saida e muito tranquila o meu cão saiu prá rua com tantas vezes fez ao longo dos seus 11 anos mas nessa noite como tantas vezes um vizinho meu ao passar com a sua carrinha atropelou-o.
    o cãozinho nem se mexia chamei o veternário deu-lhe uma injeção a ver se reagia mas nada era coluna nem se levantava embora tentasse estava em muito sofrimento ainda tentamos com mais uma injeção mas nada.
    teve que ser abatido o que muito custou a toda a familia incluindo as minhas filhas uma delas com 6 anos de quem o cocas era muito amigo mas enfim.passados uns dias o meu vizinho telefona-me a dizer que o para-choques que partiu ao atropelar o meu cão tinha custado 150 euros
    e que eu tinha que pagar se tiver que pagar tudo bem mas mesmo assim nnão acho justo se me poderem ilucidar a esse respeito agrdeçia muito
    obg


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Seja bem-vindo!

Este site é uma extensão da comunidade Dicas de Adestramento do Orkut.

Leitores online

web counter

Pesquisar

A função abaixo permite que você localize rapidamente tudo que foi publicado a respeito do termo buscado.

+

Pavê ou pacomê?

Acessos

  • 717,568 visitantes desde jan/08

%d blogueiros gostam disto: